acessibilidade

Acontece no Shopping

Agenda 31.01.2024

ArtWall - Jorge Fonseca

Quando você passa eu fico assim, Jorge Fonseca

@jorgekfonseca

Sístole e diástole são os movimentos de contração e relaxamento do coração, que variam de velocidade. Pesquisador da natureza humana, o artista Jorge Fonseca joga luz sobre uma vibração específica do coração em uma instalação onde apresenta a sua visão desse estado tão singular quanto universal: o apaixonamento.

Quando você passa eu fico assim tem algo de explosiva e excitante, como quando a pessoa que nos encanta vem vindo em nossa direção e tudo se torna colorido, descontrolado, mais vivo. A obra parte de um olhar pacientemente atencioso para as relações afetivas. Há nela um manejo delicado, realizado pelas mãos do próprio artista, da madeira recortada e pintada com esmalte sintético, em cores variadas, e envolvida com fios de eletricidade. Valorizando a tumultuosa vida dos sentimentos, Jorge Fonseca trabalha com peças volumosas. Assim, dá corpo à vertigem do amor.

A instalação sugere um sentimento impossível de se esconder, um pegar nas mãos, um cuidar da chance do amor. Fonseca resgata na infância a memória das primeiras impressões em torno do encanto dos amores. Marceneiro até os 19 anos, em seguida ficou conhecido por bordar enquanto a carga e os passageiros embarcavam no trem que guiava como maquinista. Pouco antes, nessas pausas da ferrovia, Fonseca passara, sem incentivo externo, a frequentar exposições de arte. Munido de uma experiência estética particular do bairro bastante simples em que vivia em Conselheiro Lafaiete, sentiu-se impelido a encontrar um outro lugar para associar sua habilidade manual ao desejo por liberdade artística, que se tornou a arte contemporânea.

Com trinta anos de carreira, Jorge Fonseca tem no currículo prêmios importantes como o de estímulo à criação artística da Fundação Pollock-Krasner, de Nova York. Já o Prêmio FUNARTE o fez circular pelo Brasil com seu incrível projeto Fiotim – o Museu em Movimento. O gesto de Fonseca, como artista, transfigura para a arte o seu baú de memórias, rico de referências a um manejo artesanal da vida, ligado às classes populares, ao ateliê da velha tia bordadeira, às mulheres do baixo meretrício que, vivendo à beira da linha do trem, onde amores vêm e vão, lá experimentavam roupas e tecidos, trocavam confidências, dramas, intimidades e sonhos, como qualquer um que vive na tentativa de buscar a felicidade.  

Christiane Laclau, curadora

@artmotiv.brasil

_____________________________________________________

English Version:

When you walk by I'm like this, Jorge Fonseca

@jorgekfonseca

Systole and diastole are the contraction and relaxation movements of the heart, which vary in speed. A researcher of human nature, the artist Jorge Fonseca sheds light on a specific vibration of the heart in an installation where he presents his vision of this state as singular as it is universal: passion.

When you pass by, I get something explosive and exciting, like when the person who enchants us comes towards us and everything becomes colorful, uncontrolled, more alive. The work starts from a patiently attentive look at affective relationships. There is a delicate handling, carried out by the artist's own hands, of the wood cut and painted with synthetic enamel, in various colors, and wrapped with electricity wires. Valuing the tumultuous life of feelings, Jorge Fonseca works with voluminous pieces. Thus, it embodies the vertigo of love.

The installation suggests a feeling that is impossible to hide, a holding of hands, a caring for the chance of love. In childhood, Fonseca recovers the memory of the first impressions around the charm of love. A carpenter until the age of 19, he was then known for embroidering while cargo and passengers boarded the train he guided as a driver. Shortly before, during these breaks from the railroad, Fonseca had begun, without external incentive, to attend art exhibitions. Armed with a particular aesthetic experience of the very simple neighborhood in which he lived in Conselheiro Lafaiete, he felt impelled to find another place to associate his manual skill with the desire for artistic freedom, which became contemporary art.

With a career spanning thirty years, Jorge Fonseca has won important awards such as the Pollock-Krasner Foundation in New York. The FUNARTE Award, on the other hand, made him circulate throughout Brazil with his incredible project Fiotim – the Museum in Motion. Fonseca's gesture, as an artist, transfigures into art his chest of memories, rich in references to an artisanal handling of life, linked to the popular classes, to the studio of the old embroiderer aunt, to the women of the low prostitute who, living on the edge of the train tracks, where loves come and go, there tried clothes and fabrics.  They exchanged confidences, dramas, intimacies and dreams, like anyone who lives in an attempt to seek happiness.

Christiane Laclau, curator

@artmotiv.brasil

@artmotiv.brasil